Você conhece o evento Wings for Life? Trata-se de uma corrida global promovida anualmente pela Redbull e que tem uma causa muito nobre e necessária por trás.

Em 2004, o bicampeão mundial de motocross Heinz Kinigadner e o fundador da Red Bull, Dietrich Mateschitz, criaram a organização Wings for Life sem fins lucrativos, após um acidente que deixou o filho de Kinigadner tetraplégico. Percebendo que pesquisas sobre medula espinhal estavam subfinanciadas, a dupla se comprometeu com uma missão ambiciosa - tornar curáveis as lesões da medula espinhal.

A partir daí criaram essa corrida mundial, que ocorre em vários locais simultaneamente, e onde 100% da taxa de inscrição é revertida para o financiamento de pesquisas e estudos sobre lesões da medula espinhal e a cura da lesão medular.

 

Cada suor vale a pena

A corrida foi intitulada de Wings for Life World Run e começou a ser realizada a partir de 2014.

Corredores de todos os níveis são sempre bem-vindos e, nas sete edições concluídas até agora, mais de 740.000 participantes de 195 nacionalidades já correram em torno de 7 milhões de quilômetros, arrecadando 29.230.000 euros para essa boa causa.

O resultado possibilitou que a fundação Wings for Life financiasse até o momento 239 projetos de pesquisa de 19 países diferentes, sendo que tem ainda 59 projetos em andamento.

 

Como funciona a corrida Wings for Life Run?

Até 2019 as corridas aconteciam presencialmente, simultaneamente em diferentes cidades, e o Brasil já foi sede de algumas delas. Em 2020, devido ao cenário mundial da Covid-19, os organizadores realizaram pela primeira vez a corrida de forma  totalmente virtual.

Em 2021, o evento segue 100% online. Para participar é preciso fazer o download do aplicativo do Wings for Life World Run App e realizar a inscrição.

O corredor pode decidir como quer correr: sozinho, com amigos ou em equipe organizada. É válido lembrar que em alguns países, como o Brasil, ainda se faz necessário o distanciamento social.

Em um mesmo horário que vale para todos, é dada a largada. Cada participante começa então a sua jornada – e não importa se é iniciante, profissional, maratonista ou apenas esteja correndo por hobby, o que vale é correr. Previamente cada um pode estabelecer uma quilometragem que deseja correr e o desempenho de cada corredor será avaliado pela distância versus tempo percorrido.

Não há, no entanto, uma linha de chegada e sim o Catcher Car, que é um carrinho virtual que começa a perseguir os corredores 30 minutos após a largada, passando um por um. O desafio é conseguir atingir a meta definida, por exemplo, 5 km, antes que o carrinho te alcance. Essa dinâmica torna a corrida ainda mais motivadora e divertida.

 

Uma corrida diferente de todas as outras

Cada um pode correr onde quiser: nos arredores de casa, no parque, em pista profissional ou em esteira. Durante todo o exercício, o corredor conta com o acompanhado em tempo real de uma emocionante experiência de áudio.

Por isso, os organizadores recomendam o uso de fones de ouvido ou de caixa de som (no caso de correr em esteira). Dessa forma é possível aproveitar o máximo que o evento proporciona.

Aqui no Brasil, a corrida foi realizada no dia 9 de maio, às 8h (horário de Brasília) e fui convidada para ser a locutora oficial do Wings for Life World Run Brasil.

Através dos áudios, estive ao lado de cada corredor brasileiro dando aquela força e incentivo para que eles atingissem a sua meta – preferencialmente antes de serem alcançados pelo Catcher Car.

Esse foi um trabalho diferente, já que exigiu uma gama de diversificação vocal.  Ao mesmo tempo em que fiz a locução de forma animadora durante o trajeto de cada um dos corredores, também fui a hostess do evento, levando aos participantes momentos de entretenimento antes da corrida, com entrevistas com os líderes do projeto, divulgando os resultados da instituição Wings for Life e “esquentando” os participantes para darem o seu melhor.

Foi muito especial ter tido essa experiência e ter participado de um projeto fundamental para aqueles que não podem correr e de enorme motivação para aqueles que podem.

Todos correram sozinhos, mas com a certeza que estavam conectados a milhares de pessoas no mundo, em prol de um bem maior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *