Embora desempenhem funções parecidas – seja em um vídeo, ou em uma rádio – o locutor e narrador desempenham papéis diferentes, por apresentarem atuação e linguagens distintas.

No jornalismo, por definição, o narrador é o profissional responsável por narrar um fato. Na literatura, também existe “o narrador”, que tem a função de conduzir a história – podendo ser o próprio personagem, um observador ou oculto. Mas independente do meio, resumidamente o narrador conta uma história ou um fato tal qual ele é.

Já o locutor é um profissional que apresenta assuntos, temas, programas, faz intervenções na história apresentada, enfim, ele é um suporte sonoro para diversas situações.

Vamos a alguns exemplos:

 

Em uma rádio, por exemplo, ao transmitir um jogo de futebol, o locutor apresenta aquele programa e faz interferências sobre ele, enquanto o narrador conta tudo o que está acontecendo no jogo.

Em um vídeo institucional ou em vídeos publicitários, o locutor pode fazer a “abertura” do vídeo, o “fechamento”, e até narrar algumas partes. Já um narrador, iria relatar a história do vídeo em detalhes.

Este, no entanto, é um conceito que cada vez mais está sendo substituído por um outro nome: “profissional da voz”.

Pois tanto o narrador quanto o locutor podem transitar entre as demandas que surgirem e desempenhar as duas funções. Mas para fazer tanto uma coisa quanto outra é preciso ser profissional e ter total domínio sobre seu instrumento de trabalho: a voz.

É imprescindível, porém, ter uma boa dicção, respiração, saber interpretar o texto e passar credibilidade para o público-alvo, seja em rádio, vídeo ou qualquer outro meio.

 

Mas afinal, o que fazer para ser um locutor?

 

Bom, agora que você já sabe a diferença entre narrador e locutor e que ambos precisam se profissionalizar para executar um trabalho, talvez surja uma pergunta que é muito frequente: “o que é preciso para ser um locutor profissional?”

Em primeiro lugar, para ser um locutor você precisará fazer um curso na área. Ainda não tem no Brasil uma graduação específica para locutores, no entanto, no mercado existem algumas boas opções de cursos livres e técnicos como o Curso de Locução Comercial do SENAC.

Tem também o curso de uma colega locutora, a Regina Bittar, que chama “Desenvolvimento da Voz Profissional” e ainda o curso de um outro colega chamado “Voz à Obra”.

Além destes, existem outras opções para formação de locutores - presenciais e online - que podem ser facilmente encontradas na internet.

É recomendável fazer pelo menos um, mas se possível faça mais, pois assim você terá mais segurança para iniciar um trabalho como locutor, desenvolver e aprimorar as características vocais e de interpretação.

 

Locutor com estúdio

Eu preciso ter conhecimento técnico de áudio para ser locutor?

 

É importante deixar claro que, para além da qualidade interpretativa, a qualidade do som é de extrema importância.

Portanto, é necessário que o locutor também tenha conhecimentos de áudio. No passado isso não era fundamental, pois o locutor fazia suas gravações em uma produtora, que dirigia, gravava e editava.

Contudo, hoje é imprescindível que o locutor tenha seu próprio estúdio de áudio, e por essa razão, ele tem que ser responsável por tudo. Tem que entender o mínimo de equipamentos profissionais, saber se gravar, editar e claro, ser o seu próprio diretor.

Os clientes já esperam que o trabalho realizado seja entregue finalizado, sem precisar de retoques. Então, o que antes era trabalho exclusivo da produtora de som, hoje se torna, cada vez mais, de competência do próprio talento.

E se eu não tiver recursos para montar um estúdio?

 

É claro que ter um estúdio completo quando se está iniciando, é algo difícil de conquistar (a não ser que você tenha uma reserva financeira para isso).

Normalmente, os profissionais vão adquirindo equipamentos (ou trocando por melhores) na medida em que vão trabalhando e investindo no próprio trabalho.

No entanto, se você tiver o básico para um home estúdio, você já consegue fazer suas primeiras locuções.

E o que é o básico?

 

  • Microfone
  • Fone de ouvido
  • Computador
  • Interface de áudio
  • Software de gravação/edição
  • Local com acústica adequada

 

Caso não seja possível ter o básico nesse momento, existe a possibilidade de fazer locação de equipamento ou mesmo de um estúdio.

Muitas produtoras fazem esse tipo de serviço de acordo com a sua demanda. É uma alternativa para início de carreira, mas não é aconselhável caso você queira seguir na profissão. O melhor mesmo é, aos poucos, ir montando o seu próprio estúdio.

 

Para ser locutor, é preciso tirar o DRT?

 

Para realizar um trabalho de locução, você não precisa ter o DRT (Documento de Registro Técnico), no entanto, para fazer dublagens é obrigatório.

Isso quer dizer que o avanço na carreira de locutor dependerá muito mais de você, do seu empenho e não tem um tempo específico para que isso aconteça. Quando você sentir que já está preparado, é a hora de ir atrás dos primeiros clientes!

 

Nesse mercado de locução também funciona o Q.I (o famoso “quem indica)?

 

Em várias profissões o “Quem Indica” pode ser uma porta de entrada para quem está a procura de uma oportunidade, mas nunca é um lugar garantido.

No caso dos locutores profissionais, o QI não é tão forte como em outras profissões, pois o trabalho de um locutor não é uma promessa, ele já é apresentado antes de ser contratado.

O locutor precisa enviar seu portfólio e/ou amostra do trabalho para ser aprovado e portanto, se o cliente não gostar do que ouviu, ele não vai contratar, independente de ser indicação ou não.

Claro que ter um networking é importante, mas na verdade, se você pretende se tornar um locutor ou uma locutora, mais do que ter Q.I., é preciso ter qualidade.

 

E como um locutor consegue clientes?

 

Para conseguir entrar no mercado de trabalho e se manter ali, o profissional da voz precisa ter mais um talento: o de se vender! Sim, além de ter qualidade vocal e conhecimentos técnicos, você também tem que ser vendedor do seu próprio serviço.

Na internet existem alguns sites onde é possível cadastrar portfólio e amostras de locuções, por isso, é bom preparar um bom material para apresentar. Uma vez cumprida essa etapa e conquistando seus primeiros trabalhos na área, o que virá depois ficará muito mais fluido.

Vendo assim, parece difícil e complicado, mas que início de carreira não é? A diferença é que se você tem vocação e vontade, tudo ficará mais fácil para que se torne um talentoso locutor!

 

 

4 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *